Irracional Man e a Banalidade do mal



     Hoje entre leituras, filmes e pensamentos resolvi assistir o filme de Woody Allen "Homem Irracional", estreou faz tempo, mas eu sou assim, não consigo ver nada que estreie que não seja no cinema.

    Me surpreendi bastante, de primeira pelo personagem principal ser um professor de Filosofia, (ele estava dando uma aula sobre Kant e o imperativo categórico no início do filme), que bebe exageradamente, parece ser bastante depressivo, pessimista, niilista e tem uma visão de mundo bastante excêntrica. Os filmes do Allen ultimamente tem uma fórmula pronta: Homem cinquentão + mulher de 20, fato pelo qual eu deixei de assistir alguns como Magia ao luar, mas esse me chamou atenção e resolvi dedicar meu tempo a vê-lo.

     Entre o enredo e as conversas de elite americana típica nos filmes dele, me chamou atenção que o professor queria escrever um livro sobre Heidegger e a Banalidade do mal e o mesmo sendo um filósofo que trabalha com "ideias", resolve colocar realizar uma ação e matar um juiz que ele nem conhecia, porque estava querendo tirar a guarda de uma mãe que ele nem conheceu, cujo relato dela, ele ouviu no trem enquanto viajava.

   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trabalho de Filosofia sobre o filme Vanilla Sky

Suicídio

Antropologia