Trabalho de Filosofia sobre o filme Ex-Machina

   O tema central do filme Ex-Machina é os limites que se estabelecem entre o humano e máquina. O filme conta a história de Ava que é um robô construído por  Nathan um gênio da informática  que a faz bastante similar ao ser humano cognitivamente. Nathan contrata um dos  funcionários de sua empresa para fazer o teste de Turing em sua máquina para ter certeza se ela tem consciência ou não. O objetivo  inicial de Nathan é mostrar  a Caleb  que Ava é um robô e depois fazer com que o programador ainda sinta que ela tem consciência, que possa se passar por um ser humano.
        
          No entanto,  Caleb começa a envolver-se sentimentalmente com a máquina que demonstra emoções e estados mentais muito característicos dos seres humanos, o que impressiona o programador. No decorrer do filme Ava se mostra descontente com o fato de ficar presa e deseja sair. Caleb percebe  então que o software não é determinista,  e sim causal e automático, pois, é um sistema  consciente da própria conciência e da conciência dos outro seres.
       
           Com o passar dos dias em que o programador vai fazendo o teste de Turing ele vai ficando cada vez mais desconfiado das atitudes de Nathan. Em um certo ponto do filme, Caleb começa a desconfiar se ele mesmo não trata-se de um andróide,  e, acreditando que Ava era prisioneira de seu criador planeja ajudá-la a escapar tentando assim,  embebedar Nathan  mas ele percebe e mostra gravações de cenas de Ava supostamente manipulando Caleb para que ele a possa ajudar. Juntamente com Nathan o programador  chega a conclusão que a andróide utilizou de ferramentas como emoções, sedução e previsão de comportamento para chegar a seu objetivo que é sair do quarto no qual está presa.

             Uma cena que me chamou bastante atenção é aquela em que Caleb pergunta a Nathan por que ele deu sexualidade a Ava e Nathan questiona se ele conhecia algum “ser” que tinha motivação de interagir com outro “ser” se ele não tivesse gênero, e também se a consciência pode existir sem interação. Durante a conversa eles entram ainda na discussão sobre como o ser humano foi programado pela natureza ou educação por possuir determinadas preferências.  Uma segunda cena bastante interessante é aquela em que Ava exibe um “medo” da morte, ou seja,  de ser “desligada”, ela questiona Caleb durante a Sessão 4 se cabe a alguém a decisão de desligá-la remetendo então,  a questões sobre livre-arbítrio. A questão é se Ava estava simulando emoções ou se realmente as sentia? ou ainda, estava fingindo o que exigiria um avanço nível de consciência.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suicídio

Trabalho de Filosofia sobre o filme Vanilla Sky

Antropologia