Resumo da primeira prova de Análise Sócio-Histórica do Desenvolvimento Humano.

Esse resuminho foi terminado a mão, esse semestre foi muito sofrido e ainda não acabou!!

Conceito de Objetivação e apropriação:


Lei genética geral: De acordo com Leontiev poderíamos estabelecer como uma lei genética geral do desenvolvimento psicológico infantil que o
desenvolvimento das funções psicofisiológicas  se encontram na dependência dos processos concretos nos quais estão envolvidos, ou seja, da atividade da criança
Citação: “Qualquer função se desenvolve e é reestruturada dentro do processo que a realiza, as sensações por exemplo, incrementam-se em conexão com o desenvolvimento de um processo de percepção dirigidos por um alvo, é por isso que elas podem ativamente ser cultivadas em uma criança, e seu cultivo não pode de mais a mais, em virtude disso, consistir em um treinamento simples, e mecânico das sensações em exercícios formais.”


É preciso que tais funções integrem processos dirigidos por um alvo, ou seja, é preciso que seu desenvolvimento seja intencionalmente buscado pela criança como condição para a realização da atividade.


Exemplo de Leontiev da atenção fonemática e aprendizagem de uma língua estrangeira:
“ Durante seu desenvolvimento uma criança adquire uma capacidade extremamente acentuada de diferenciar fonemas, ou sejam sons significativos da língua, mas isto só porque sua diferenciação é uma condição necessária para distinção das palavras que são sonoramente semelhantes, mas diferentes em seu significado. A distinção dos sons, cujas diferenças não constituem um meio real para a criança distinguir palavras pelo sentido permanece muito menos perfeita.  Mais tarde por conseguinte, quando a criança começa a estudar uma língua estrangeira no começo não ouve a diferença entre fonemas semelhantes que não novos para ela, como a diferença entre “mais e mes” no francês ( para aprender a falar não é possível só ouvir é necessário também que a pessoa tente dominá-la).
Dessa forma, é evidente que as funções psicológicas a serem cultivadas na criança devem ser requeridas por atividades em que esteja colocada em alguma medida INTENCIONALIDADE da criança, a busca pela consecução de determinado objetivo.
Sendo assim, não basta expor a criança estímulos diversos, não basta disponibilizar a ela os objetos da cultura mas é preciso organizar sua atividade. A pertinência da intervenção intencional do educador no processo de desenvolvimento da criança.


Leontiev afirma que é necessário que a função que se pretende desenvolver na criança ocupe um lugar preciso na atividade estando incluída em uma operação cujo desenvolvimento em um determinado nível torne-se condição necessária para o desenvolvimento da ação correspondente.


              O desenvolvimento das funções psicológicas e da atividade estabelecem entre si mútua dependência, além da dependência do desenvolvimento das funções em relação ao desenvolvimento da atividade.
            
      Existe também uma conexão inversa entre o desenvolvimento das funções e o desenvolvimento da atividade - o desenvolvimento das funções torna possível o desempenho melhor da atividade correspondente.
          Esse processo das funções psicológicas na criança é analisado por Vigotski fala das funções psíquicas elementares ou primitivas, funções psíquicas superiores, exclusivamente humanas elementares são garantidas pelo aparato biológico da espécie e são a homens e animais.
          Exemplo de funções elementares: atenção involuntária e memória imediata.


          Funções superiores tem  origens em processos eminentemente culturais.


Vigotski: considerava ciência psicológica deveria buscar compreender o que é específico, distintivo, superior na conduta humana. Na época de Vigotski a psicologia infantil não havia até então  elaborado um método adequado  e estudava a criança como um ser meramente natural. A psicologia tradicional oferece apenas uma interpretação biológica das funções psíquicas tipicamente humanas.


Vigotski: o desenvolvimento das funções psíquicas superiores constitui um produto do desenvolvimento social da conduta e não biológico.
             Na perspectiva histórico cultural o humano é um ser de natureza social, cujo modo de adaptação à natureza difere radicalmente do animal. Vigotski critica a psicologia tradicional por empregar um mesmo esquema explicativo para o comportamento humano e animal. O esquema estímulo-reação ou estímulo-resposta.
Na perspectiva de Vigotski o desenvolvimento da conduta desde o animal até o ser humano não se esgota na complexidade das relações entre estímulos e reações e tampouco se explica pelo aumento quantitativo e incremento de suas relações - ocorre nesse processo de desenvolvimento da conduta uma salto dialético que modifica qualitativamente a relação entre o estímulo e a resposta.
   Citação Vigotski: A psicologia busca aquelas formas especificamente humanas de determinismo, de regulação da conduta, que não podem ser simplesmente identificadas de modo algum com a determinação do comportamento animal ou reduzidas a ela. É a sociedade e não a natureza a que deve figurar em primeiro plano como o fator determinante na conduta do homem (VYGOTSKI, 1995, p.89).  


Para ele a conduta humana tem como característica peculiar a introdução de estímulos meio artificiais que passam a mediar essa relação (antes direta e imediata entre estímulos e reação.)
Esse novo estímulo artificial é o signo.


Signos para Vigotski: são estímulos meio artificiais introduzidos pelo homem na situação psicológica que cumprem a função da auto estimulação, ou seja, constituem meios para dominar a conduta (própria ou alheia)


A origem: estímulos introduzidos pelo próprio homem e a função meio para dominar a conduta - são para o autor os aspectos fundamentais de signo.
A conduta humana é regida por um princípio regulador que é O PRINCÍPIO DA SIGNIFICAÇÃO - CRIAÇÃO e o EMPREGO DE SIGNOS.
O traço característico da função psíquica superior é o domínio do próprio processo de comportamento por meio da introdução de signos.
Para ele a peculiaridade da conduta humana se deve porque o homem intervém ativamente em suas relações com o meio, e ele mesmo modifica seu próprio comportamento submetendo-o ao seu poder.


Citação Vigotski: Fica evidente assim então o primado da atividade do homem na perspectiva vigotskiana.
O desenvolvimento cultural de qualquer função, incluída a atenção, consiste em que o ser social no processo de sua vida e atividade elabora uma série de estímulos e signos artificiais. Graças a eles se orienta a conduta social da personalidade; os estímulos e signos assim formados se convertem no meio fundamental que permite ao indivíduo dominar seus próprios processos de comportamento (VYGOTSKI, 1995, p.215, grifo nosso).
Mediação pelo signo é o traço distintivo das formas superiores de conduta humana.
O emprego de signos guarda relações com a utilização de ferramentas na atividade do homem. Ambos, ferramenta e signo, têm função mediadora na atividade humana. Tanto o emprego de signos quanto a utilização de ferramentas, para Vigotski, podem ser considerados, do ponto de vista lógico, conceitos subordinados a um conceito mais geral: o conceito de atividade mediadora
Existe uma diferença entre a ferramenta influi sob o objeto de atividade do homem- é o meio de sua atividade exterior.
O signo por sua vez não modifica nada no objeto é o meio de que se vale o homem para  influir psicologicamente sobre a conduta própria e alheia, ou seja, é um meio para sua atividade interior

Três estágios do desenvolvimento:

Funções psicológicas elementares  primitivas e superiores

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rory Gilmore Book Project

Suicídio

Antropologia